design_Thinking_treinamento

Entenda como o Design Thinking pode ajudar profissionais de T&D no desenvolvimento de projetos mais efetivos.

Nos últimos 6 anos me dediquei a auxiliar profissionais de T&D, das mais distintas indústrias, a desenvolverem programas de treinamentos dos mais variados temas.

Pude notar uma tendência comum na elaboração desses programas, muito tempo é investido para entender o que será feito, qual conteúdo, quantos dias de treinamento, quem será o treinador e etc., essas questões obviamente são cruciais, porém existe algumas questões anteriores a essas que muitas vezes esquecemos de nos perguntar: “Quem são as pessoas envolvidas?” ,“Como elas gostariam de ser desenvolvidas?”, “Quais são as suas necessidades, dores e desejos?”.

Entender as pessoas e as suas reais motivações, como se comportam e o porquê fazem o que fazem é o primeiro e mais importante passo para o sucesso de uma iniciativa de Treinamento & Desenvolvimento.

Neste contexto percebi que, uma metodologia que eu já utilizava para inovação em produtos & serviços e para a resolução de problemas complexos, poderia ajudar, e muito, as empresas a inovarem em T&D.

A área de Recursos Humanos, como o próprio nome já diz, tem como seu principal foco as pessoas, da mesma forma, o Design Thinking é uma metodologia para desenvolver experiências centradas no ser humano. Por que não conectar essas duas disciplinas?

“As pessoas de negócio não precisam só entender os designers, elas precisam se tornar designers.” – Roger Martin, Reitor, Rotman School of Management

Mas afinal o que é Design Thinking?

Com certeza, o primeiro passo para perceber o valor da metodologia é entender o que é Design Thinking (ou apenas ‘DT’).

Em poucas palavras, o DT é uma abordagem sistemática para a resolução de problemas. É a aplicação da forma de pensar dos designers em outras áreas da empresa. Ele aparece como uma nova caixa de ferramentas para inovar em qualquer área e por isso tem ganhado tanta força e destaque.

Mas não se preocupe, pensar como um designer não requer nenhum tipo de super poder e é totalmente seguro para tentar fazer em casa.

É importante diferenciar Design de Design Thinking. Designers extremamente talentosos são capazes de combinar uma grande sensibilidade estética e habilidades para visualização, etnografia e reconhecimento de padrões. Ao ensinar Design Thinking nós não temos a pretensão de transformar as pessoas em designers profissionais e sim de ensiná-las uma abordagem para resolução de problemas, podendo ser praticada em diferentes níveis, por pessoas com diferentes habilidades.

E se os profissionais de T&D pensassem como designers?

Algumas palavras definem bem o que seria diferente:

  • mais empatia;
  • mais colaboração;
  • mais invenção;
  • mais experimentação e iteração.

Ter empatia significa desenhar soluções e programas de treinamento que levam em conta as necessidades racionais e emocionais dos colaboradores.

Significa começar pelo colaborador. É pensar no seu trabalho, naquilo que você já faz todos os dias, mas desta vez, colocando no centro de tudo o colaborador. Pensar como eles pensam, tentar entede-los melhor para desenvolver soluções realmente novas e assertivas.

É preciso quebrar alguns paradigmas e lembrar que as pessoas mais próximas ao problema têm as melhores soluções. Então, quanto mais nos aproximarmos dos colaboradores envolvidos no processo, melhores soluções iremos desenvolver.

Isso significa co-criar, trabalhar em colaboração com diferentes áreas, gastar sola de sapato, conhecer e colaborar com diferentes pessoas, compartilhando expertises e conhecimentos.

O design é um processo de invenção, quando você pensar como um designer, você também pensará como um inventor. Designers inventam o futuro, pensam naquilo que ainda não existe. Para podermos crescer, manter nossas equipes engajadas e bem treinadas. precisaremos pensar em algo para o futuro que seja diferente do presente, que seja realmente inovador.

Um bom design, como disse Richard Buchanan, acontece na intersecção entre restrições, contingências e possibilidades, elementos centrais para a criação de soluções inovadoras e funcionais. Um bom design, inevitavelmente começa com a pergunta “e se tudo fosse possível?”, por que não começar nossos projetos de treinamento com essa mesma pergunta?

Quando pensamos como designers, posicionamos nós mesmos como eternos aprendizes, sempre dispostos a experimentar algo novo. No nosso dia a dia, sempre buscamos pela única resposta certa, pelo único e melhor caminho para resolver um problema, o DT nos força a pensar em múltiplas alternativas, a testar as nossas ideias de forma simples, rápida e barata, para podermos correr riscos calculados e iterar com velocidade as nossas soluções.

Aplicar a metodologia do Design Thinking aos desafio de T&D, significará aprender a utilizar os métodos do design para desenvolver e prototipar ideias em equipes multidisciplinares, encontrando novas soluções para problemas latentes.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s